menu

Aug 27, 2017

Resenha Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

Título Original: Brave New World
Autor: Aldous Huxley
Editora: Abril Cultural
Páginas: 310
Ano: 1982


      Hello! Alguém quer soma? Eu pensei em tomar umas de vez enquanto, porém não existem na vida real e sim nessa obra que irei falar sobre, pra vocês.

      Admirável mundo novo, é um livro de temas altamente contemporâneos, mesmo tendo sua primeira publicação em 1932. Na faculdade esse livro sempre entrava em discussão e eu ficava só boiando, né. Até que criei coragem para ler, pensei até que seria uma leitura mais difícil, porém foi muito fluida e pneumática(adjetivo que aprendi no livro)

Sinopse: Uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford.

   Aldous tem uma linguagem incomparável, a narrativa consegue passar todos os detalhes do novo mundo para o leitor sem deixar a leitura cansativa. E achei nesse livro uma forma de diálogo inovador para mim. Como pode duas cenas acontecendo ao mesmo tempo em lugares diferentes e você pode acompanhar as duas, pois se encaixam perfeitamente no papel!?

     No início a jogada de apresentação, do autor, é bem interessante, pois temos um grupo de pessoas visitando o Instituto, ao mesmo tempo que o diretor explica todos os setores para eles, nos sentimos dentro da "excursão" e conseguimos saber como é o funcionamento daquela sociedade, de onde vêm os bebês, não são das cegonhas, piorou dos humanos (não pensem besteira) e sim de tubos e incubadoras, nada de "sementinha plantada na mamãe ". Meu espanto e admiração começou daí, e depois só cresceram, é uma sociedade totalmente oposta da nossa, digo, em relações humanas, porém fica evidente a crítica crua ao capitalismo e consequentemente ao consumismo, (e claro que eu adoro livros críticos)


     A história passa a ficar mais interessante quando Bernard viaja para visitar os selvagens e descobre um babado fortíssimo sobre o passado de seu chefe e isso inclui novos personagens à história, como John, um selvagem, que vem visitar o mundo novo.

    John vive num mundo de valores parecido com o nosso, e a partir daí a narrativa passa a explorar os pontos de vista dele, de uma maneira que faz o leitor criar identificação com o selvagem.

   O final do livro é forte, como o esgotamento de uma luta interna e externa do personagem, me deixou a refletir sobre a vida, a liberdade e a felicidade. Porém esses não são os únicos temas que podemos encontrar na obra, também vemos a questão de identidades, religião, amor, obsessão, poder, dentre outros. Sem dúvidas o melhor livro que li em 2017!

    Você seria capaz de viver numa sociedade onde é abominável ter sentimentos, onde desde de bebê é ensinado a consumir e aceitar sua posição social/econômica, tomar uma droga chamada soma para controlar e prevenir que você sinta qualquer insatisfação com o sistema que governa?
DESCUBRA. .

Ah e não deixem de acompanhar o instagram do blog: @literafeto . Até mais.

Aug 17, 2017

Lançamento!! O Chamado dos Bisões, de Paola Giometti





Fiquei muito feliz quando recebi o convite para o lançamento do livro o chamado dos bisões, pois é o terceiro livro da série Fábulas da Terra, cujo achei muito interessante todo o universo, pois mescla o mundo selvagem e história, é maravilhoso para uma pessoa de humanas como eu, que curte muito a área da biologia. 
O primeiro livro dessa série é o destino do lobo e o segundo recebeu o título de o código das águias, vamos conferir o que o terceiro livro trás pra gente!? 
  • Autora: Paola Giometti 
  • Editora: Andross/Engrenagem 
  • Gênero: Literatura Juvenil

Mika é uma filhote de bisão que se perde de sua manada durante a sua primeira migração. Ela enfrenta o frio, a fome, e aprende a ouvir seus instintos. Então ela conhece Yurok, um bisão idoso e sem objetivo de vida, que aguardava o seu fim não tão distante. Vendo a oportunidade de ajudar Mika e ter um objetivo, oferece sua companhia nessa jornada de vida ou morte. Yurok a ensina sobre a importância do chamado dos bisões: a única maneira de reencontrar o caminho das migrações e entender um misterioso som que vem das montanhas.

O livro é voltado para o público juvenil e traz conceitos de ecologia das espécies, cadeia alimentar, biomas, relações ecológicas, equilíbrio natural e inúmeras curiosidades sobre o comportamento animal. Além desses temas, o livro eleva a importância da família e das amizades que permanecem ao nosso lado nos momentos mais difíceis.
Sinopse:
"Ao longo da migração anual dos bisões, Mika separa-se de sua manada. Diante da solidão desesperadora de um filhote sem proteção e dos perigos selvagens que a cercam, ela terá que confiar em seus instintos e nos conselhos de um velho bisão. Essa é a única maneira de reencontrar o caminho das migrações e entender um misterioso chamado que vem das montanhas."
Minibiografia:
Paola Giometti nasceu em São Paulo, Capital, em 1983. É graduada em Biologia, mestre e doutoranda em Ciências. Colaborou com a Revista Mundo dos Super-heróis na edição 57 com uma matéria sobre o papel da mulher nos quadrinhos. Em eventos sobre a cultura nerd, Paola é cosplayer da personagem Lara Croft e Supergirl. Publicou o livro O Destino do Lobo, O Código das Águias e O Chamado dos Bisões da série Fábulas da Terra, além de ter participado das coletâneas literárias Xeque-mate, Horas Sombrias, Aquarela, Círculo do Medo, King Edgar Hotel, Legado de Sangue, Outrora e Sede, todas da Andross Editora. Paola não só participou com contos das coletâneas Fogo de Prometeu, Céus de Chumbo, Outrora, Sede como também foi a organizadora dessas antologias.
Parceria com o Zoológico de São Paulo:
"A estória da pequena Mika demonstra toda a força e resistência de uma majestosa espécie símbolo das pradarias e de tantas culturas. Sua luta diária pela sobrevivência, buscando sempre o melhor pela coletividade, está no espírito dos bisões, os quais têm muito a nos ensinar. Dedicação, amor e respeito são palavras que definem “O Chamado dos Bisões”.  Mara C. Marques - bióloga do Departamento Técnico da Fundação Parque Zoológico de São Paulo.
Aqui estão algumas redes sociais da autora, espero que tenham curtido e até a próxima!
Facebook: www.facebook.com/paolagiometti1
Website: www.paolagiometti.com.br
Instagram: www.instagram.com/paolagiometti/

Aug 6, 2017

Poe no Presente+Resenha Edgar Allan Poe:Medo Clássico

Título - Edgar Allan Poe: Medo Clássico
Ano: 2017
Páginas: 384
Idioma: português
Editora: DarkSide Books

Oi gente! Que felicidade e medo ao mesmo tempo. Saber que a Darkside está publicando e ainda vai publicar sobre os mestres do horror, me deixa muito louca, primeiro, eles arrasam na edição e segundo, os autores são fodas.
Eu finalmente criei coragem pra ir buscar o livro na livraria cultura que fica em outra cidade e estou muito apaixonada por tudo que eles escolheram para essa primeira edição. Tem até a filosofia da composição, gente, que eu vi na faculdade. haha.A edição é linda demais, fazendo com que ler Poe se torne ainda mais prazeroso, ao fim há algumas fotos de lugares que o autor viveu, sem contar a seleção de contos escolhidos e as traduções de O Corvo, que é o poema mais conhecido do autor. Eu particularmente considero essa edição impecável, arrasaram muito! Edgar Allan Poe foi um grande mestre do horror, também considerada literatura fantástica antigamente. Fico pensando se as crianças de hoje lessem a literatura fantástica do passado. Acho que eu teria crescido mais doida que já sou.
As obras de Poe refletem a condição de vida dele mesmo. Geralmente, há fantasmas femininos, que podem ser comparados com a morte da mãe e da esposa, doenças degenerativas, assassinatos, e por aí vai.. Além disso, Poe usa elementos da natureza e animais, para compor seu estilo gótico e grotesco, bote grotesco nisso, como em A Queda da Casa de Usher , O Gato Preto, O Coração Delator, que são alguns dos meus contos preferidos.
O cara arrasava tanto nos mistérios que até sua morte é considerada um, curioso hein.. pelo menos para mim. No pouco tempo de carreira literária que teve, Poe conseguiu fazer com que suas obras não fossem esquecidas, o resultado tá aí, vários jovens curtindo as loucuras dele e o mercado interessado em publicar só reforça que Poe vive.

Amigos, se vocês não conhecem literatura fantástica dos séculos passados, vocês não sabem o que estão perdendo! Não esqueçam de acompanhar o blog no Instagram, lá tem novidade sempre: @literafeto.