Jan 8, 2015

Resenha - O Retrato de Dorian Gray

 O RETRATO DE DORIAN GRAY

  • Autor: Oscar Wilde
  • Editora: MARTIN CLARET
  • Nº de Páginas: 215



      Oscar Wilde é considerado um dos maiores escritores e dramaturgos britânicos do século XIX. O mesmo período em que a historia fictícia do livro acontece. Oscar impressionou a Inglaterra ao escrever insinuações sobre algo que era praticamente visto como crime para a época, o homossexualismo.
      O trio principal do livro é formado por três homens que em qualquer edição lida pode se notar certo caráter homo afetivo, mas não apenas esse ponto nos confunde durante a leitura. Outro ponto que fez esta obra se tornar um escândalo na época foram os próprios diálogos no livro, expressões ousadas para aquele período e um modo de vida também não considerado certo para àquela sociedade.
Hoje o livro que desde sua primeira publicação ganhou dezenas de versões e adaptações, é considerado um dos livros mais esplêndidos da literatura inglesa e também um dos romances mais populares na lista da BBC (British Broadcasting Corporation).
      Este livro nos permite ter acesso ao modo de vida da época em que o próprio Oscar Wilde viveu, nos fazendo ver os costumes e também mexendo muito com o psicológico do leitor, tudo os que os personagens falam tem certa reflexão, o próprio mistério sobre o que acontece com aquele quadro nos faz pensar bastante, não é uma leitura fácil, mas sim interessante e que nos oferece uma nova visão para o mundo, os sentimentos e a nossa própria vida.
  
      Dorian é um garoto muito jovem e considerado puro por seu amigo e maior admirador, o pintor Basil Hallward, cujo tem um sentimento profundo por Dorian, que o inspira a pintar como nunca antes.  Basil em uma conversa em seu ateliê com seu outro amigo Lord Henry Wotton, um aristocrata e hedonista comum daquela época, deixa escapar o assunto sobre este seu misterioso amigo cujo ele não consegue se expressar de forma clara. Henry aproveitador e petulante como sempre diz está interessado em conhecer Dorian. Basil de inicio não quis aceitar, mas o destino fez com que Dorian o fosse visitar no mesmo horário em que Henry estava no ateliê.

      Dorian posa para Basil e esta seria a maior obra prima do pintor, porem não iria expor nunca, por dizer que pôs muito de si naquelas pinceladas.  O retrato de Dorian Gray estava pronto, ele esperava que Dorian a recebesse maravilhado, mas Lord Henry estava ali e tudo mudou, Henry começara a conversar com Dorian sobre sua beleza, a beleza que um dia iria embora e toda sua juventude passaria. O garoto “manipulado” pelas palavras do novo amigo reage de forma imprevisível ao ver o quadro pronto. O odeia e deseja profundamente que sua beleza fique intacta e que aquele retrato envelhecesse.

      Henry desde então se aproxima de Dorian e o oferece um mundo novo, o fazendo se afastar de Basil. Certo dia em uma conversa Dorian diz a Henry que está apaixonado.  O modo como Dorian expõe seu sentimento ao amigo é extremamente profundo e encantador. Henry como sempre, fala do amor e das mulheres com seu ar de manipulador e cínico. O que muitas vezes faz Dorian o chamar de horrível.

      Sibyl Vane, uma atriz de terceira categoria que interpreta personagens de famosos clássicos como os de Shakespeare, é a tal moça cujo Dorian diz amar. Em uma noite Dorian leva seus dois amigos para o teatro, a moça já iludida com o amor dele interpreta mal em todos os atos, pois já havia visto a possibilidade de um mundo diferente que podia viver com o seu príncipe encantado, como o chamava.
Ela não queria ser mais Julieta, queria ser Sibyl ao lado de Dorian. Mas Dorian a amava pelas suas interpretações e isso partiu seu coração, ele foi duro com a moça a deixando largada a chorar. No dia seguinte arrependido do que fez fica certo de que vai casar se com a moça e que a amava mesmo assim. Mas Dorian recebe uma noticia inesperada e que o fez esquecer todos esses planos imediatamente e de forma fria, pois nunca poderiam ser cumpridos. A partir deste dia ele se torna uma pessoa completamente diferente e passa a ter uma vida incerta para a sociedade.

      O curioso, sua beleza intacta ao longo dos anos, muitos diziam que ele fizera um pacto com o demônio, outros apenas se afastaram.  Até as mulheres cujo o adoravam passaram a ter medo.
O retrato que escondeu no quarto mais alto da casa se modificava e ficara pavoroso ao passar dos anos, Dorian não deixava ninguém subir. Levou apenas duas pessoas lá em cima, uma nunca mais voltou e outra apenas o ajudou a se livrar de algo que guardaria para si, caso conseguisse. Dorian tomara decisões que carregaria em sua alma para a toda a vida.
Por fim os empregados um dia, após um grito, entraram naquele quartinho.O retrato estava puro novamente representando toda a beleza de Dorian, mas aquele homem só foi reconhecido pelos anéis. 


4 comments:

  1. Oi Gisele, lí esse livro para um trabalho na escola e recentemente assisti ao filme. Eu gosto muito desse tipo de leitura e fico feliz que essa tenha sido sua primeira resenha. Só não gostei do fato de você ter contado Spoilers e de não ter colocado suas impressões sobre a história, afinal é uma resenha, e os leitores querem saber o que você achou do livro. Também não entendi porque a fonte ficou diferente no meio do texto.
    Ainda assim, vejo que você tem boa ortografia e escreve muito bem, a redação está muito boa. Você está no caminho certo. Parabéns pelo blog... Vou ficar te acompanhando. Bjs
    http://territorio6.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Simplesmente amei o seu comentário, obrigada isso me ajudará muito a crescer *-*

      Delete
  2. Gostei imenso da sua resenha, esteé um dos livros que eu quero ler este ano :)

    Gostei do seu blog e já o estou a seguir :)
    beijinhos.
    Daniela RC
    http://ddocesonhadora.blogspot.pt/

    ReplyDelete
    Replies
    1. muito obrigada! leia mesmo viu!!
      também estou seguindo você!! :*

      Delete