menu

May 23, 2017

Resenha Entre o Amor e o Silêncio, de Babi A. Sette + Convite

Edição: 2
Editora: Novo Século
Ano: 2015
Páginas: 504



    Oi leitores! A resenha de hoje é também uma chamada para o 3° Encontro de Leitores do Sertão Central. Eu ganhei esse livro em um sorteio, na edição deste evento, ano passado (2016). Para falar a verdade quem leu esse livro primeiro foi minha mãe, ela achou ele lindo e começou a ler logo no dia seguinte ao que ganhei. Como estamos organizando e edição do encontro desse ano resolvi deixar aqui minhas impressões!


Sinopse

Francesca Wiggs sofreu uma grande decepção amorosa e, desde então, está decidida a não se relacionar mais. Além de se dedicar a escrever o seu livro, ela resolve preencher os dias com um trabalho voluntário – a leitura para pacientes em coma proporcionaria para ela a distância para problemas com o coração. No entanto, um grande imprevisto ocorre quando ela passa a se sentir atraída pelo paciente. Mitchell, descrito como um poderoso magnata, seria a antítese de tudo o que ela busca em um homem… se não estivesse em coma. Precisar de alguém inconsciente seria um absurdo, não seria? Amar uma pessoa que nunca responde parece loucura! Francesca já havia entendido e sentia-se quase segura diante disso. Mas, e se Mitchell acordasse? A aproximação desses personagens tão diferentes revela um romance encantador e divertido, repleto de reviravoltas. Entre a vida e a morte, a ilusão e a realidade, o amor pode ser realmente o milagre que faz tudo mudar?


     Entre o amor e o silêncio é um livro que já nos deixa curioso pelo título, fiquei super curiosa sobre do que se tratava o enredo e quando comecei a ler me senti muito familiarizada com a linguagem que a autora usou, os termos bem explícitos do jeito que conversamos com amigos sobre relacionamentos e tal. Isso causou uma certa estranheza na minha mãe, gente, lembro que ela virava pra mim e dizia: Gisele do céu, que putaria é essa, isso me fez querer ler mais o livro haha. Sinto que a linguagem criou uma identificação​, conforto, mas também risos.

      Mas falando sério, não sou de ler romances, mas esse me pegou, é muito interessante a relação entre eles e ficamos sabendo de muitas coisas sobre a vida da protagonista antes de conhecer Mitchell, e sobre a vida dele também, gente fiquei encantada, deve ser muito difícil gostar de alguém que está em coma, e pelo outro lado gostar de alguém que nunca viu só ouviu, mas ao mesmo tempo nos faz refletir sobre nossas relações. São dois personagens muito diferentes, e Mitchell é um homem da classe alta, viciado em trabalho, não pode se envolver em escândalos, mas ao mesmo tempo este esteriótipo é quebrado quando ele defende Francesca e fica com ela. Adorei os trechos românticos de quando eles se conhecem de verdade... OK não vou falar mais spoilers!

      É um livro que toca em assuntos delicados, como confiança, traições, caráter, prioridades, dentre outros, eu adorei mesmo, foi profundo pra mim.

      Fica aqui minhas impressões pra vocês, adorei pois não é comum eu curtir livros assim e eu quero convidar a todos para a terceira edição do encontro, que acontece aqui no interior do Ceará, Quixadá, será dia 22 de julho no Campus da UECE, FECLESC, que também é a faculdade que eu estudo ❤ , muitos autores estarão presentes, palestras e mesas, ah claro muitos sorteios​!

      Também quero agradecer pelo 1k de seguidores no Instagram, isso me deixa muito feliz, e lembrem que estou sempre postando lá. Até mais!

Leia Mais ››

May 13, 2017

Resenha- O Leque de Lady Windermere

Título Original: Lady Windermere's Fan

Autor: Oscar Wilde

Ano: 2013

Editora: Dover Publications

Idioma: Inglês

Páginas: 120


 Damas e Cavalheiros, a resenha de hoje vai te levar pra outra época, o período vitoriano. Para quem nunca ouviu falar disso, esse é o período que corresponde ao tempo que a Rainha Vitória dominava a Inglaterra, e vários dos meus livros favoritos foram publicados ou escritos nesse período e são repletos de críticas sociais e ironias, do jeito que eu gosto. Haha.


      Essa é a segunda obra do Wilde que leio, se você quiser ver qual foi a primeira é só clicar aqui. E tipo, eu amei, muito. Tenho que ressaltar que o Leque de Lady Windermere é uma peça, então possui uma estrutura diferente, dividida em atos e cenas ao invés de capítulos.

    Tem um enredo fascinante, nos faz ter vários tipos de sentimentos, como, ciúme, raiva, vergonha, ansiedade, paixão. Imagine pensar que seu marido está te traindo quando na verdade não tem nada a ver e é um negócio bem mais complexo, ai gente, fiquei louca.

     Queria assim dar vários spoilers, mas não posso. Nessa obra podemos ver que há temas que até hoje são muito discutidos, como a maldade no sexo masculino, como mulheres deveriam se comportar, as aparências diante a sociedade, maternidade, dentre outros. Percebo que estou ficando velha quando me interesso tanto por temas mais "adultos".

      É isso pessoal, espero que tenham gostado, até o próximo post, ou então me acompanhem pelo instagram, to sempre postando por lá.

Leia Mais ››

May 1, 2017

Resenha The Heart of Betrayal, de Mary E. Pearson



Autora: Mary E. Pearson 
Ano: 2016
Páginas: 402
Idioma: português 
Editora: Darkside Books
      Oi gente, ainda bem que aqui uso os dedos e não a boca, pois realmente depois desse livro estou sem fôlego. Você pode encontrar a resenha do primeiro volume de As Crônicas de amor e ódio AQUI. Eu tive algumas decepções quanto ao primeiro livro, mas nada que me fizesse desistir do segundo. E olha ainda bem que não desisti. O último capítulo me deixou cheia de curiosidade sobre Venda.
Sinopse:Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.

      Meu povo o segundo livro me fez pensar muitas vezes: eu estou nas crônicas de amor e ódio ou nas crônicas de gelo e fogo? Por qual razão a autora nos faz amar um personagem para depois tirar a vida dele? Eu adorei conhecer o Komizar, devo revelar aqui minha queda por vilões. Mas o personagem que mais me chamou atenção foi a Calantha, eu a achei uma mulher muito forte(fodaaa), e as atitudes dela no fim do livro levam o leitor a loucura.




      Mary sabe a fórmula para deixar seus leitores sedendos pelo desenrolar dos acontecimentos. O livro continua com múltiplos narradores, muitos pontos de vista e o mais importante, Lia amadureceu muito nesse segundo livro, uma mulher que realmente  luta por sua liberdade. Pelo poder dela  de escolher o que quer para sua vida, seu dom também é melhor trabalhado. Os romances que rolam neste livro são bem mais divertidos e mostram uma Lia jogadora, cara, melhor livro, melhores surpresas!
 Obrigado Mary e Darkside por ter nos trazido uma personagem capaz de fazer mais garotas poderosas!
Quero saber sua opinião sobre o livro também! 
Ah e estou sempre alerta no instagram do blog:
literafeto. Vai lá bater um papo comigo ><
Leia Mais ››

Mar 8, 2017

Resenha O Olho Mais Azul, de Toni Morrison



Título Original: The Bluest Eye
Autora: Toni Morrison
Ano: 2003 / Páginas: 216
Idioma: português 
Editora: Companhia das Letras
Oi pessoal, essa resenha é muito especial  para mim, pois esse livro mexe muito comigo. Amo  tanto esse livro que eu quase fazia a resenha em vídeo, bom daria pra falar bem mais sobre a obra. Eu já me senti muito deprimida, como uma das personagens. Foi uma leitura muito forte, que ajudou na minha afirmação quanto negra e eu ainda fiz um artigo sobre ele que é  relacionado ao padrão eurocêntrico de beleza que muitas vezes nós (negras) somos impostas a usar.

Sinopse: Cholly e Pauline Breedlove têm dois filhos - Sammy e Pecola. Seria uma típica família americana não fossem os Breedlove muito pobres e negros. A situação de marginalidade é ainda mais grave para a menina Pecola, que encontra rejeição em todos os ambientes que freqüenta. Na escola, é ridicularizada até pelas outras crianças negras, pois é quem tem a pele mais escura. Nos Estados Unidos da década de 40, época em que se passa a história, o padrão de beleza é exatamente o oposto daquele que a menina ostenta. Garotas negras e pobres, como ela, costumavam ganhar de presente bonecas brancas de olhos azuis e tomar leite em canecas estampadas com o rosto da atriz-mirim Shirley Temple. Todas as noites, a pequena Pecola reza para ter olhos azuis - num delirante e inconsciente desejo de redenção e ascensão social.

É uma narrativa pesadíssima, mas essa resenha está bem leve para que todo mundo consiga entender o assunto. Primeiro, é uma história que se passa nos anos 40 lá em Ohio nos Estados Unidos, é sobre relacionamento familiar, identidade negra, mulher, segregação racial, mídia “branca”, infância perdida, beleza, assédio, dentre outros.
Esse livro conta a história de Pecola, uma garota de 11 anos, que após uma discussão em casa, vai morar na casa de duas amigas, e justamente uma dessas meninas, Claudia, é a narradora da história. Pecola sofre preconceito que vem de vários tipos de pessoas, como alunos de sua escola, vizinhos, comerciantes, não posso falar o livro todo. ˆˆ Devido toda essa violência, a garota reza todos os dias para ter olhos azuis, ela acredita que assim as pessoas iriam gostar dela e que seus pais iriam parar de brigar.
A escrita de Toni é incrível, com um narrador personagem e outro em terceira pessoa, conseguimos ficar por dentro da história de outros personagens como o pai e a mãe de Pecola. Mescla elementos da natureza com os sentimentos dos personagens, é um texto que possui uma estrutura pós modernista e estética única, que consegue transportar o leitor para um outro nível de entendimento sobre o que é ser  mulher negra. Ah e essa foi  a primeira negra a ganhar o Nobel de literatura, ela é minha inspiração.


Espero que tenham curtido, casou direitinho no dia da mulher, né. Até a próxima postagem.
Leia Mais ››

Mar 4, 2017

SEGUNDA POSTAGEM: CRÔNICAS DE MYRIADE. Teorias.


Nesta segunda postagem eu irei analisar certos aspectos dos personagens e comentarei algumas das minhas teorias sobre o que eu acho que o futuro reserva para os nossos queridos personagens.
ATENÇÃO: O TEXTO A SEGUIR CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS: LINGUAS DE FOGO, TEMPESTADE DE AREIA E A RAINHA DA PRIMAVERA. O SEU CONTEÚDO SE BASEIA EM OPINIÕES PRÓPRIAS E INFORMAÇÕES DOS LIVROS, PODENDO SER OU NÃO VERDADEIRAS.

Personagens principais:

Aisling: Personagem principal da série, foi revelado que ela possui poderes relacionados ao ar e que pode ser descendente direta da Rainha da Primavera, sendo talvez a única herdeira legítima do reino de Hynneldor. Sua arma favorita é arco e flecha.

Dharon: Amigo de infância de Aisling, possui habilidades de combate, não possui poderes mágicos até o momento, sua arma favorita é uma espada de duas mãos. Possui uma resistência fora do comum ao veneno de salamandra se considerarmos que foi capaz de lutar e derrotar o seu antigo mestre Adam (em estado Furioso) mesmo estando envenenado.
Marian: Sem dúvida é a minha personagem favorita, conhecida como O Flagelo de Furiosos possui habilidades de combate armado, sendo manca sempre utiliza uma montaria em suas batalhas, uma líder nata e excelente estrategista. No livro Tempestades de Areia foi revelada sua habilidade com a magia do vento.

Desmond: Filho de uma curandeira de Hynneldor e um soldado de Vulcannos, possui a habilidade de manipular o fogo e o ar, entretanto as suas habilidades são relativamente fracas em relação a outros magos.

Kendra: Outra personagem favorita minha, apesar de estarem de lados opostos, me lembra muito a Mrian. Pertencente a uma raça especial de Myríade, os pistiros, Kendra nasceu no interior de um vulcão e conquistou, frente a seus iguais, o privilégio de servir ao exército de Vulcannus, do qual é Coronela.

Teorias.
Bom pessoal eu tenho várias teorias sobre a série e sobre o que nos aguarda no futuro, mas não vou expor todas aqui, vou colocar só 6 que eu achei mais interessante.

1) Rei Griffith: Acredito que o rei de Vulcannos seja imortal, ou pelo menos não envelheça. Acredito que ele tenha mais de 100 anos e ainda possui juventude e está no ápice de suas habilidades com o fogo. Ele deve temer que algum filho seu se torne mais forte que ele e o destrone (Uma referência a Zeus e Cronos) por isso nunca se casou, o que é algo não natural a um rei que precisa de herdeiros. E a principal suspeita é que ele seja o próprio deus Caddock.

2) Sexto reino: Existem evidências que demonstram a possibilidade da existência de um sexto reino em Myríade. Não se sabe o que ouve com ele, pode ter sido destruído ou pode estar oculto em algum lugar, eu acredito na primeira hipótese, acho que os deuses entraram em guerra e acabaram destruindo este lugar.

3) O mistério de Kantheria: O elemento do reino de Kantheria é o tempo, podendo ser o reino mais poderoso de toda Myríade, entretanto os seus habitantes raramente usam este poder. Minha teoria é que os khanterienses tem poderes de ver todo o passado, presente e futuro, entretanto enxergam tudo de uma maneira diferente, a logo prazo, em que suas ações de alterar o fluxo do tempo podem provocar consequências terríveis.

4) Dharon o Furioso: Acredito que Dharon se tornará um furioso consciente, tendo controle de suas ações e podendo usar a força bruta de um furioso.

5) Aisling e Neve/Douce: Uma das coisas que mais me deixou em dúvida foi a relação que essas duas poderiam ter, Neve tem a mesma aparência de Aisling em sua forma humana, seria isso coincidência? Minha teoria é que as duas possuem algum parentesco, e por tocar nesse assunto pouco se sabe sobre os pais de Aisling, em uma entrevista com a autora Karen Soarele presente em seu canal do Youtube me chamou atenção a este fato, talvez Aisling e Neve sejam irmãs separadas filhas da deusa Zyria quem sabe.

6) Batalha épica final: Quem leu os livros sabe que a autora tem um gosto por batalhas grandiosas e épicas, e o que seria mais épico do que todos os reinos se juntando para enfrentar um inimigo em comum? Bom eu acredito que isto irá acontecer e o “grande inimigo” pode ser o sexto reino, ou quem sabe uma ordem secreta que controla tudo por de baixo dos panos.


Bom pessoal essa foi a postagem sobre algumas das minhas teorias sobre o futuro da série. Comentem aí o que vocês acham que o futuro reserva para os nossos queridos personagens.
Leia Mais ››

Feb 20, 2017

Resenha Crônicas de Myríade

E aí pessoal, hoje vou trazer uma postagem dos livros da minha querida autora Karen Soarele, vai ser uma postagem bem extensa, então decidi posta-la em três partes.
A primeira vai ser uma resenha normal sem spoilers, a segunda vai ter uma análise mais detalhada contendo informações dos livros e da wiki oficial, a terceira vai ser uma postagem especial que será uma surpresa.
Vamos a resenha.


Título: Línguas de fogo.
Série: Crônicas de Myríade – vol 1
Autora: Karen Soarele.
Ano: 2012.
Sinopse oficial: “Aisling é uma camponesa que vive numa área remota de Vulcannus, o reino mais poderoso de Myríade. Entretanto um acontecimento vem para mudar completamente a sua vida – seu melhor amigo. Dharon, é ferido em batalha enquanto tentava protegê-la, e a única chance que ela tem de salvá-lo é deixar para tras tudo o que conhece e atravessar a fronteira até o território inimigo, onde pode encontrar o antídoto para o veneno que o consome. Em sua jornada. Aisling se defrontará com diversos perigos, descobrirá que toda história possui mais de um ponto de vista e aprenderá que nas amizades verdadeiras está a força para seguir pelo caminho correto. Até onde você iria para salvar um amigo? Línguas de Fogo é uma história de desafios, amadurecimento e sobretudo, amizade.”
Na capa podemos ver Dharon e Aisling enfrentando a grande jornada em busca do antídoto para o veneno que aflige Dharon.
Faz bastante tempo que eu estava querendo ler este livro e durante as férias deste ano eu tive essa oportunidade.A história do livro é bem interessante, cheia de mistérios que te prendem do começo ao fim, eu particularmente adorei os livros da série, a leitura é bem fácil e dinâmica. Os personagens são bens construídos e cativantes, até mesmo os personagens secundários, confesso que no começo da história eu não gostava da personagem Aisling, mas ao ver o seu amadurecimento durante o desenrolar da trama me cativou e eu acabei gostando dela.

O universo de Myríade em si é fascinante, possuindo cinco reinos, cada um com a sua diversidade de povos, costumes, lendas e valores. O reino não é habitado apenas por humanos, mas também por seres mágicos, elementais quase humanos. O fato de cada reino ter a magia de um determinado elemento (Ar, Terra, Fogo e Água) e os magos usarem essa magia para lutar me lembrou muito o desenho animado Avatar: The last Airbender. 
Leia Mais ››

Feb 18, 2017

Resenha - The Kiss of Deception, de Mary E. Pearson

      Oi gente, pensei muito antes de fazer essa resenha, mas no fundo eu gostei do livro, sim, eu gostei. Depois de meses só lendo clássicos eu tentei um best seller. The Kiss of Deception foi o primeiro livro que comprei da Darkside Books, eu sou apaixonada pelo disign da editora, e já quero os livros do medo clássico.
      Não é uma narrativa cansativa, pois os capitulos são curtos e divididos de acordo com os pontos de vista dos personagens principais, ou seja, em primeira pessoa. Além disso alguns capítulos são intitulados como príncipe ou assassino e outros com o nome desses personagens, eu não sei se foi só eu, mas eu acabei confundindo os dois e fiquei decepcionada quando descobri quem era o assassino e quem era  o principe e pior por qual deles ela (e eu) se apaixonou. E o ultimo capitulo é um dos melhores.
      Vi pessoas dizendo que não viram nada de fantasia no livro, porém o livro é de fantasia sim, mas a autora poderia ter descrito melhor o mundo que criou, pois geralmente o primeiro livro é de apresentação, mas eu adorei o lugar que Lia e Pauline vão morar.
      Sobre os esteriótipos que a autora transportou para o livro, o feminismo poderia ter sido mais trabalhado, ir além da rebeldia de Lia, mas no geral, há muitas questões que podemos conversar. Fiquei curiosa sobre a guerra que também foi deixada de lado, para dar espaço ao romance, acho que se eles estivessem lutando e juntos, eu teria gostado mais.
      Bom, pra finalizar, a decepção não foi tanta ao ponto de me fazer descartar o segundo, eu tô louca pelo segundo, gente, eu preciso saber o que vai acontecer. A última página mata o leitor de curiosidade. 

Leia Mais ››

Jan 3, 2017

FRANKENSTEIN OU O PROMETEU MODERNO, por Mary Shelley




Título Original: Frankenstein: or the Modern Prometheus

Autora: Mary Shelley

Ano da primeira publicação: 1818.

      Certa noite, após uma longa conversa em que lorde Byron e Percy Shelley trataram da hipótese de aplicar o princípio vital da natureza a um corpo inerte, Mary Shelley teve um pesadelo inesquecível em que viu um monstro criado pela ciência humana. Este seria o ponto de partida de uma das obras mais proféticas da história da literatura: Frankenstein ou o Prometeu moderno, romance que explora temas como a moral científica, a criação e destruição da vida e a audácia da criatura em sua patética emulação com o Criador. Fonte: Saraiva.

Sobrevivi 2016! Espero que vocês tenham tido um ótimo ano, pro lado pessoal e literário! Eu poderia começar o ano com um lançamento, porém depois que li essa obra para uma disciplina da faculdade onde estudo literatura inglesa desde as antiguidades, eu fiquei apaixonada por esse livro e resolvi começar o ano com ele!!
 Sempre tive vontade de ler Frank, mas com tantos filmes eu achava que já sabia a história decorada, MENTIRA! EU DESCOBRI QUE EU NÃO SABIA ERA DE NADA, todas as adaptações que vi não têm quase nada a ver com o que se passa no livro. (Sem fazer julgamento de valor, por favor!)
      Não vou contar spoilers, mas gostaria de ressaltar alguns pontos que me chamaram atenção: os narradores e a forma como é narrado, temos as cartas no início, de Robert Walton, um capitão que acaba conhecendo a história sobre a criação do ser (monstro), Victor Frankenstein, o criador, que narra em primeira pessoa de maneira tão íntima que ele parece conversar com o leitor, e o narrador que mais me surpreendeu, o monstro ou ser, cujo não recebe nome, mas ficou conhecido popularmente como Frankenstein e conseguiu me ganhar por inteiro. Nunca na minha vida pensei que “o ser” pudesse ser tão desenvolvido e ter tantos sentimentos, no fundo acho que “o ser” é o personagem mais humano da obra.
      Frankenstein é sobre o poder do conhecimento, a ambição, o valor da vida e a morte, o amor e suas relações. É um livro de cenas fortes e pesadas, que te devora enquanto é devorado, sem dúvida era o livro de ficção cientifica que eu precisava para começar a ler com mais frequência este gênero maravilhoso.
      Se você já conhecia me conta o que achou, se não, me conta também! J Até mais.  


Ah gente, quem quiser pode acompanhar o blog pelas redes sociais, sempre tô postando no instagram e facebook.  
Leia Mais ››

Nov 3, 2016

Resenha Anjo Mecânico.


Ano: 2010
Titulo Original: Clockwork angel: The infernal devices.
Autor: Cassandra Clare.
Páginas: 392.

Eu quis ler esse livro por causa da série Instrumentos Mortais, quando eu soube que se passavam no mesmo universo eu fiquei ansioso pra ler e também o fato de o livro se passar na época da Londres vitoriana, e eu adoro histórias desta época, eu acho que deve ter sido por causa que eu adoro a série Doctor Who. Na capa podemos ver Will Herondale trajando roupas típicas da época e arte da capa é realmente incrível.
Sinopse:

Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do Submundo.

A história gira em torno de Tessa, que descobre ser uma feiticeira com poderes únicos, e o Magistrado quer usar os seus poderes no seu plano para destruir os Caçadores de Sombras. Tessa é de longe o meu personagem favorito de toda saga dos Caçadores de Sombras, pra quem segue a série Shandowhunter da netflix ela foi citada algumas vezes e eu espero que possamos vê-la como um personagem recorrente. Voltando ao livro, a história é muito interessante e introduz um tipo diferente de criaturas, os Autônomos que são controlados pelo terrível Magistrado, é bem interessante ver como os Caçadores de Sombras lidam com esta nova ameaça. Temos também personagens que já conhecemos como Magnus Bane e ficamos sabendo um pouco mais de seu passado.

Observações pessoais:
Eu adorei o livro, a história de todos os personagens é muito bem feita e coerente, eu indico esse livro pra todos que curtiram os livros de Instrumentos mortais.

Leia Mais ››

Oct 24, 2016

Tag: Pontas Soltas.

E aí pessoal, venho aqui trazer mais uma postagem para vocês, sempre que acabamos de ler algum livro, saga ou série, nos perguntamos sobre algumas coisas que ficaram um pouco vagas ou geraram ambiguidade e deixaram algumas dúvidas nos leitores.
Apesar de parecer um pouco estranho é algo muito comum no mundo da literatura e está presente em grandes obras, aqui eu vou apresentar uma lista com algumas obras que me deixaram dúvidas.
Obs.: Alerta de spoilers, o texto a seguir conter spoilers de Fallen, Harry Potter, Instrumentos Mortais, Maze Hunner.



Série Fallen. Viagem no tempo pelos Anunciadores.

No terceiro livro da série Fallen a personagem principal, Luce, levada por um impulso irracional, se arrisca ao mergulhar em um Anunciador e começa a atravessar os séculos viajando por suas vidas passadas. Luce mostrou claramente que podia interagir com o seu passado e também mudá-lo, isto mostrou claramente que se trata de uma viagem no tempo, tanto é que Luce encontrou versões de seus amigos no passado e estes afirmaram que era a Luce do futuro.
Quando se trata de viagens no tempo existem duas hipóteses, a primeira é que quando alguém viaja no tempo, todas as suas ações sempre aconteceram, aquilo sempre irá tomar aquele rumo. Segunda, quando o viajante faz qualquer alteração no passado muda completamente o futuro e em certos casos o passado também muda. No livro os personagens conseguem assumir o controle de suas outras versões do passado, como Luce e Daniel fizeram, então podemos dizer que qualquer um dos que atravessam os anunciadores pode alterar o passado, mesmo sendo apenas nephilins, no livro não deixa claro se humanos normais também seriam capazes.
E agora vem a dúvida, se todos os anjos tem o poder de viajar no tempo porque não alteram o próprio passado? Será que não podem? Será que não devem? Será que alguém já fez isso? E se fez, algo deu terrivelmente errado?

 Desde que acabei de ler os livros da série eu me pergunto isso, minha teoria é que a autora Laurem Kate abordou a primeira hipótese de viajem no tempo, tudo só tem um caminho para correr, e por isso o plano de Lúcifer, no último livro Êxtase, sempre tenderia a falhar.

Harry Potter. Nicolau Flamel e Alquimia.


A alquimia foi citada já no primeiro livro de Harry Potter, no capítulo 13 do primeiro livro Nicolau Flamel, entretanto foi a única vez que foi citado. Quando li o livro pela primeira vez achei que a alquimia era o mesmo que o estudo de poções, mas como o próprio professor Snape cita no Capítulo 8 O mestre das poções, na verdade a matéria de poções é uma ciência sutil e a arte do preparo de poções, portanto são duas coisas distintas, tanto que nenhum dos livros de poções dos alunos de Hogwarts cita a alquimia. No livro Flamel foi o único a produzir uma pedra filosofal.

A dúvida, seria Flamel um bruxo? ou um trouxa ou apenas denominado alquimista? a alquimia seria mágica ou ciência? ou seria como eram chamadas as práticas de poções antigamente?


 Maze Hunner. Thomas seria bom ou ruim?

A série Maze Hunner sem dúvida foi uma das que mais deixaram pontas soltas, tantas que merecia um poste só sobre ela, mas o que ficou mais na minha cabeça foi o Thomas, nos livros ficou bem claro que Thomas ajudou o CRUEL com os experimentos e até os liderou por algum tempo. Thomas foi recrutado e submetido a experimentos desde criança, sendo imune ao fulgor, era uma peça importante no quebra cabeça para a procura da cura. Ele nunca recuperou a sua memória então é difícil dizer o que pensava. 
A dúvida, Thomas foi forçado a ajudar com os experimentos do Labirinto? Se não, o que ele achava disso?

Instrumentos Mortais. Jonathan o primeiro Caçador de sombras.

Nos livros da série é sempre citado Jonathan o primeiro caçador, no qual pediu ao anjo Raziel para misturar o seu sangue com o dele no cálice mortal, assim todos que bebessem do cálice se tornariam Caçadores das Sombras. Ele e seus seguidores tomaram do cálice e se tornaram os primeiros Nephilins ou meio anjos. Essa história de origem é muito antiga, devido aos livros também citarem Jonatan e Davi, que deram origem ao juramento de parabatai, acredito que o Primeiro Caçador teve origem no mesmo período.
A grande dúvida, porque Jonathan pediu ajuda ao Anjo? Será que enfrentava alguma ameaça demoníaca? E como ele sabia invocar um anjo?

Bom pessoal essa foi a postagem, espero que vocês tenham gostado. Se essa postagem repercutir bem eu farei a parte 2.
Se você acha que algum livro ou série deveria ou não estar aqui deixe um comentário. 
  
Leia Mais ››